20 janeiro 2009

Carta a quem possa se enquadrar*

Era noite de uma terça-feira aparentemente normal, monótona, melancólica. Você veio a mim como um vento sublime que me entra pela janela e me da um certo ar de esperança.

Me convidou para sair, me divertir, comer e beber algo, ou seja, passar a noite com você. Eu aceitei e lá fomos nós, tivemos uma noite incrível, que infelizmente acabou.

Acabou da maneira mais trágica possível, ao sairmos do restaurante, no exato momento, passou um motorista bêbado e com o acidente te levou de mim.

Agora fico aqui eu, sozinho em não só minhas terças, mas todos os dias melancólicos de minha vida, lembrando de você. Não queria mais nada, a não ser, a sua bela companhia, e passar outros belos dias com você.

Um lugar mais triste, 20 de janeiro de 2009.


*Bem, o titulo era pra ser Carta a alguém (não a palavra alguém, mas um “nome qualquer”), porém eu não achei nenhum nome para colocar ali, e também não queria que fosse direcionada a um sexo. Ai lembrei de umas palavra do Junio Barreto num show nesse sábado, antes de cantar A Quem Glória Possa Ser e criei esse titulo. O texto é totalmente ficcional.

3 argumentos:

Roberto Ney disse...

Gostei do texto. Vc disse no final que é totalmente ficcional... lembrei de um texto com um personagem cheio de questionamentos e infeliz com sua vida que publiquei em meu blog, e choveram e-mails de amigos meus procurando o que estava acontecendo, se eu estava bem... heheheheh! Eu respondia, meus caros, o texto não é autobiográfico... enfim, parabéns pelo blog e passarei aqui sempre que vc atualizá-lo ok!
a propósito, o endereço do meu é
http://ocomcopo.blogspot.com/
abraço

Roberto Ney disse...

valeu por passar no meu blog... e gostei do seu relato do texto, hehe! que bom que ele te passou tantas impressões... a intenção é realmente essa.
abraço e seja sempre bem vindo ao nosso blog ok!!

Késia disse...

Ainda bem que é ficcional, Ufa

Tem um Presentinho pra você no meu Blog espero goste!!