10 fevereiro 2010

Poesia Erótica Nº 2

Veio
Subitamente veio sussurrando aos meus ouvidos
Caliente, quente, explicitamente
Ô, todos os meus pensamentos mais secretos
Naquele momento não puderam conter-se em minha cabeça
E foram arrastando-se para o meu corpo
Não resisti
Beijei

Aquela boca quente, que conteve todo a minha ansiedade
Pois fiquei imóvel, perplexo
Era eu um fantoche
Esperando ser guiado pelos caminhos mais secretos e vulgares daquela cama

E assim o fui
Suor, saliva, cheiro
Tudo misturado num mesmo quarto

Ardente
A tua pele me tocava
Enquanto na tua alma eu penetrava

Foram momentos únicos
Tão rápidos quanto uma noite divertida
Tão longos quanto refletir sobre o amor
E a vida

Ali eu te tive
Ali você me teve
Ali foi intenso
Nós dois nos fundimos num único corpo e alma

O dia amanheceu
E de nós dois no quarto
Só ficou o cheiro


_________________________________________


Não se preocupem meus queridos 2 ou 3 leitores, porque provavelmente não terá a Poesia Erótica Nº 3, mas como eu fiz há mais de 1 ano a Nº 1 (tão ruim quanto, ou pior), eu tava arrastando a "obrigação" de fazer a Nº 2 até agora!

5 argumentos:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
SMM disse...

oi gostaria que conhecessem o meu blog sobre a minha experiência pessoal com a síndrome do pânico, agradeço desde já a visita, obrigado.

Nanda disse...

Léo, eu amei issooooooo!
"Ardente
A tua pele me tocava
Enquanto na tua alma eu penetrava"

Putz, escreve o #3 sim!

Flor de Lótus disse...

Na sensualidade dos versos... a sensibilidade do poeta!!!

Costurando em ponto. disse...

Você é bom nisso, por que parar?

Continua... divaga...
Vaga... que alma jorra.


Vamos(?)

O pecado é o unico vinculo do teu proibido....


Espero o próximo ato.